Covid no Brasil

Não há eles, elas e nós. Há nós, apenas. Embora não saibamos seus nomes, intuímos suas almas. Somos milhões de “Nós”, vivos e mortos. Embora tenhamos nos acostumado à deles/as saber todos os dias, sabemos que eles e elas não são números, não são dados de boletins de óbito. São a encarnação de todo amor que viveram, de todo cuidado que deram, de todo trabalho que criaram, de muitos risos, abraços e sonhos.


No Dia Mundial da Saúde queremos lembrar que pessoas são suas histórias e circunstâncias, que deveriam ter suas vidas amparadas pelo Estado Nação em que nasceram. O Brasil não tem cuidado e protegido adequadamente sua população dos riscos da pandemia da COVID-19, nem dos impactos que ela tem gerado em pouco mais de um ano de sucessivas notícias alarmantes e trágicas.


Saúde é um direito assegurado em nossa Constituição e um Dever do Estado. Vacina para todos, todas e todes!